Home
Saboeira (banda de música)

 

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Fundada no dia 25 de novembro de 1849, em Goiana, Pernambuco, a banda de música Saboeira era filiada ao Partido Liberal, enquanto a sua rival Curica pertencia ao Partido Conservador.

Há duas versões para a origem do nome: a primeira diz que, como no início a banda não tinha fardamento próprio, os músicos tinham que lavar sua melhor roupa para se apresentar e por isso os adversários os chamavam de "saboeiros", referindo-se ao sabão com que lavavam as roupas. A segunda versão, talvez a mais aceitável, seria por causa da existência de um saboeiro (árvore cujo fruto quando friccionado produz espuma) junto à primeira sede da banda, surgindo então a corruptela Saboeira, nome pelo qual ficou conhecida.

Um dos acontecimentos mais marcantes da história da banda foi sua apresentação na visita do Imperador Pedro II à Goiana, em 1859.

A Saboeira é a segunda banda de música mais antiga de Pernambuco e esteve sempre ligada à sorte do Partido Liberal, tanto nos triunfos quanto nos fracassos.

Com a queda do prestígio dos velhos partidos imperiais e o advento da propaganda republicana, a banda deixou de ser importante para o Partido, sendo praticamente abandonada.

Em 1886, Francisco Tavares de Melo assumiu a direção da Saboeira, passando a mantê-la com seus próprios recursos e a ajuda de filiados do Partido Liberal.

Em outubro de 1908, um dos seus sócios mais relevantes, José Pinto de Abreu, resolveu organizar uma sociedade, mantida com a contribuição mensal de sócios, objetivando garantir a continuidade e a atividade regular da banda, criando então a Sociedade 12 de Outubro que ficou responsável pela manutenção da Saboeira.

De 1908 até 1930, a banda teve vários presidentes e na campanha da Aliança Liberal, durante a Revolução de 30, a Saboeira ficou sob a orientação do prefeito e chefe político Serafim Luiz Pessoa de Mello, que foi um dos seus grandes incentivadores.

Em 1939, foi construída uma nova sede para a banda, com a ajuda de diretores, associados, do então interventor federal de Pernambuco, Agamenon Magalhães e do ex-governador Barbosa Lima Sobrinho, entre outros.

A Saboeira participou de diversos concursos, tendo conquistado vários prêmios, entre os quais, o primeiro lugar em um concurso promovido pela Argus Industrial de São Paulo.

A rivalidade entre as duas bandas de música de Goiana, a Curica e a Saboeira sempre existiu e ainda é a mesma do passado, mas ambas são motivo de orgulho para o povo goianense e os pernambucanos.

Recife,  7 de abril de 2004.

(atualizado em 31 de agosto de 2009).

FONTES CONSULTADAS:

IRMÃO, José Pedro Damião. Tradicionais bandas de música. Recife: CEPE, 1970. 184p.

SILVA, Leonardo Dantas (Org.) Bandas musicais de Pernambuco: origens e repertório. Recife: Governo do Estado de Pernambuco. Secretaria do Trabalho e Ação Social. Fundo de Amparo ao Trabalhador, 1998. 395p.

COMO CITAR ESTE TEXTO:

Fonte: GASPAR, Lúcia. Saboeira (banda de música). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/

>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco