Home
Ibura revisitado (Bairro, Recife)

Fabiana de Melo Nascimento
Professora da Escola Municipal Cristina Tavares
Zenaide Souza da Silva
coordenadora pedagógica da Escola Municipal Cristina Tavares
Cláudia Verardi
Bibliotecária - Analista em C&T da Fundação Joaquim Nabuco
Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

Localizado na zona sul da cidade, o Bairro se caracteriza pela presença de muitas escadarias e morros.

O Ibura vai da Avenida Recife até o final da Avenida Dois Rios, e o Ibura de Cima, onde estão localizadas as Unidades Residenciais (UR’s), os bairros de Lagoa Encantada, Zumbi do Pacheco, Monte Verde, Dois, Três e Alto Dois Carneiros.

Devido a sua grande extensão territorial, o Bairro se divide entre a cidade do Recife e Jaboatão dos Guararapes.

De acordo com Bairros (2013, p. 74) A nomenclatura de Ibura é uma corruptela indígena que quer dizer “fonte de água” (y: água / bura: que brota, que arrebenta,borbulha).

o crescimento populacional da cidade do Recife acarretou  a ocupação da região por volta do final da década de 1930 e início de 1940. O Ibura se tornou um dos bairros mais populosos da Cidade com 50.617 habitantes.

Com 15.078 domicilios, a faixa etária predominante está entre 25 a 59 anos, representando 24.881 moradores (49,16%). As mulheres são a maioria (52, 92%).

O Valor do Rendimento Nominal Médio Mensal dos Domicílios é de: R$ 1.180,16. e a proporção de mulheres responsáveis pelo domicílio é de 43,72%.

O índice de alfabetização da população acima de 10 anos de idade é de 91, 6%.

Segundo relatos de moradores antigos, Neste mesmo período, o Bairro era abrigo de uma grande área verde e, parte dessa área servia para pouso de aeronaves oficiais. o tráfego aéreo e comercial trouxe maior visibilidade para o local. Ali nascia o um dos principais aeroportos  das Regiões Norte e Nordeste: Aeroporto Internacional dos Guararapes – Gilberto Freyre.

Atualmente, por causa do crescimento da população, a mata já não existe, foi substituída por inúmeras construções, muitas delas frutos de invasões.

Na parte alta do Ibura fica localizada a Cohab e grande parte de suas construções, foram feitas para abrigar famílias desabrigadas por causa da cheia de 1966 que atingiu toda a cidade.

Parte dessas construções foi entregue de forma emergencial e inacabada.  Foram denominadas “embriões”. Na época, os investimentos feitos por parte dos governantes não foram suficientes para suprir a necessidade da comunidade e os moradores relataram que faltavam itens de necessidades básicas: saneamento, luz elétrica, reboco nas casas, transporte, escolas, posto de saúde e comércio. Tudo isso fez os moradores unirem forças com o objetivo de contribuir para o progresso e desenvolvimento do Bairro.

Foi criada então nessa época, a associação dos moradores do UR2, que se encontra atuando até os dias de hoje. Recentemente a Associação promoveu um dia de ações sociais em comemoração aos 50 anos do Bairro, que aconteceu esse ano (2017).

Durante a Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), soldados americanos deram dinamismo à região, construindo vilas e favorecendo a formação de um comércio de bens e prestação de serviços. (BAIRROS, 2013, p. 74).

Um dos mais importantes logradouros do Bairro é a Avenida Dois Rios que se destaca como um dos principais centros comerciais do local, cuja diversidade das atividades e negócios, possibilita que os moradores não necessitem se deslocar até o centro da cidade para contratar serviços ou adquirir bens e produtos.

Além de excelentes opções comercias, o Bairro também possui inúmeros atrativos culturais, que se manifestam sobretudo nos períodos de carnaval e festas juninas, destacando o Boide Mainha, Grupo Artístico e Cultural Boi Ta Ta, Urso Papangu, Urso Língua de Ouro, Troça Carnavalesca Mista Manhoso, Clube Carnavalesco Misto Maracangalha, Clube Carnavalesco Misto Pavão Misterioso,Quadrilha Junina Matutinho Dançante, Quadrilha Junina Pelo Avesso na Roça e na Raça e o Maracatu Nação Leão da Campina.

Através de muitos esforços, a comunidade obteve desenvolvimento e alguns desses avanços foram significativos, porém, ainda é necessário muitos investimentos no bairro, e o principal é na área de segurança já que a violência atualmente assusta a população.

Inúmeros projetos sociais através dos quais os grupos culturais do Bairro desenvolvem suas atividades têm uma grande responsabilidade social para ajudar a transformar a realidade da comunidade local que segue com sua história sempre em busca de melhor qualidade de vida.

 

Recife, 20 de dezembro de 2017.

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

 

BAIRROS do Recife. Causos, histórias e manifestações culturais. Ibura. Revista Algo Mais, a. 3, n. 3, 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2017.

 

RECIFE. Prefeitura Municipal. Serviços para o cidadão. Ibura . Disponível em: <http://www2.recife.pe.gov.br/servico/ibura >. Acesso em 16 nov. 2017.

 

 


COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

 

Fonte:  NASCIMENTO, Fabiana de Melo; SILVA, Zenaide Souza da; VERARDI, Cláudia Albuquerque. Ibura revisitado (bairro, Recife). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em:<http://basilio.fundaj.gov.br//>. Acesso em:dia mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco