Home U
Usina Tiúma
Localizada no município de São Lourenço da Mata, foi fundada em 1881, por Jovino Bandeira de Melo, com a denominação deEngenho Central São Lourenço da Mata.

 

Em 1887, passou a pertencer à empresa inglesa The North Brazilian Sugar Factories Company, mudando o seu nome para Usina Tiúma.

Tinha capacidade inicial para esmagar 400 toneladas de cana em 24 horas.

Em 1929, possuía oito propriedades, 61 quilômetros de ferrovia, sete locomotivas e 339 vagões. Tinha capacidade para trabalhar 1.500 toneladas de cana e fabricar 6.000 litros de álcool em 22 horas. Na época da moagem trabalhavam na fábrica cerca de 270 operários, entre os quais oito estrangeiros. Não eram admitidos menores ou mulheres.

Em 1988, foi feita a primeira reclamação em Pernambuco contra a usina, por causa dos despejos de resíduos nas águas do rio Capibaribe. Atualmente, a vinhaça é aplicada no cultivo da lavoura como fertilizante.

Foi uma das maiores usinas do Estado, fabricando açúcar e álcool por 93 anos ininterruptos.

Em 1979, deixou de fabricar açúcar, tornando-se apenas uma destilaria de álcool.

Depois da família Bandeira de Melo e da companhia inglesa, pertenceu durante muito tempo a Fileno de Miranda. Atualmente, seu proprietário é o Grupo Votorantin, de José Ermírio de Morais.

 

Recife, 7 de agosto de 2003.

(Atualizado em 9 de setembro de 2009).

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

ANDRADE, Manuel Correia de. História das usinas de açúcar de Pernambuco. Recife: FJN. Ed. Massangana, 1989. 114 p. (República, v.1)

 

GONÇALVES & SILVA. O assucar e o algodão em Pernambuco. Recife: [s.n.], 1929. 90 p.

 

MOURA, Severino. Senhores de engenho e usineiros, a nobreza de Pernambuco. Recife: Fiam, CEHM, Sindaçúcar, 1998. 320 p. (Tempo municipal, 17).

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: GASPAR, Lúcia. Usina TiúmaPesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco