Home
Recifolia

DIVULGADORES DO CARNAVAL

Claudia M. de Assis Rocha Lima
Pesquisadora

FREVIOCA - Criada em 1979, saiu pela primeira vez no carnaval de 1980. Idealizada por Leonardo Silva e Marcelo Varela, entre outros colaboradores, para resgatar o carnaval de rua do Recife e colaborar diretamente com as agremiações que, sem recursos não dispunham de orquestra para os desfiles. Na sua origem a Frevioca era uma caminhão decorado alegoricamente, com som amplificado, e em cima a Orquestra Popular Ademir Araújo e o cantor Claudionor Germano, percorrendo as principais ruas do centro do Recife, formando um cinturão carnavalesco. A idéia inicial foi da permanência da Frevioca no centro da cidade, mas hoje, adequadamente instalada e equipada em veículo projetado para atender suas necessidades, a Frevioca parte para todos os locais que for solicitada, levando principalmente o objetivo maior de perpetuar o frevo nas ruas do Recife.

RECIFREVO - Em 1956, a Prefeitura da Cidade do Recife, instituiu uma lei onde era obrigatório a realização de concursos de músicas carnavalescas para a divulgação do frevo, este concurso era realizado na Pracinha do Diário. Em 1975, a Fundação de Cultura da Cidade, realizou o Primeiro Encontro de Frevo e Maracatu, o Frevança, dando, oportunidade para os compositores novos. Realizou várias eliminatórias em alguns dos principais bairros do Recife e algumas capitais do Nordeste, teve duração de 10 anos, e era divulgado através da Rede Globo. Em 1989, começou a ser realizado o Recifrevo, com suas eliminatórias no Teatro do Parque e as finalistas no Pátio de São Pedro, agora em parceria com a TV Jornal, continuando a proposta inicial de valorizar e difundir o Frevo e o Maracatu.

RECIFOLIA - Realizado a partir de 1993, pela Prefeitura da Cidade do Recife, na praia de Boa Viagem, no mês de outubro, já faz parte do calendário turístico da cidade. Caracteriza-se como um verdadeiro encontro de ritmos comandados pelos maiores artistas, nacionais e locais. O carnaval fora de época, já é considerado como um dos maiores eventos de movimentação popular do Brasil. Foi criado para movimentar a cidade em um período de baixa estação turística. Os foliões e turistas de todo o Brasil têm a oportunidade de participar e brincar durante 4 dias de muita festa e folia. Participam, além dos trios elétricos: Chiclete com Banana; Asas as América; Pingüim, entre outros; os cantores Netinho, Daniela Mercury e Ricardo Chaves; e os legítimos representantes de nossa cultura como: Maracatus, Clubes de Frevo, Frevioca, e demais agremiações que se fazem presentes, como atrações principais juntamente com os blocos e trios elétricos de Recife.

ESTAÇÃO DA FOLIA - A Secretaria de Turismo da Cidade do Recife, criou na Av. Guararapes um dos principais polos de animação, visando resgatar o carnaval participação do centro da cidade. O Corredor da Folia começa no bairro de São José e Santo Antônio, tendo sua apoteose na Estação da Folia, onde desfilam as mais tradicionais agremiações, retratando o que há de mais genuinamente pernambucano, transformando-se à noite em um autêntico baile carnavalesco ao ar livre, com shows de artistas locais e nacionais.

BALÉ POPULAR - Fundado em 1977, por André Luiz Madureira, chamava-se então Grupo Circense de Dança Popular, as brincadeiras conquistaram o público e a crítica, acabando por levar a trupe de brincantes para um circo de verdade, armado no Cais da Rua da Aurora: "O Circo da Onça Malhada", nessa mesma época o grupo ganhou o nome Balé Popular do Recife, batizado por Ariano Suassuna. A proposta do grupo artístico-teatral, já famoso pelo seu profissionalismo, é resgatar os festejos populares, entre elas o frevo e o maracatu. O Balé Popular tem inúmeras turnês internacionais e amplo reconhecimento em todo o Brasil pelo importante trabalho desenvolvido. Apresenta-se durante todo o ano, semanalmente, no Teatro Beberibe, no Centro de Convenções de Pernambuco.

FEDERAÇÃO CARNAVALESCA DE PERNAMBUCO - Fundada em 1935, inicialmente chamada de Fundação da Federação Carnavalesca. Seu fundador foi o grupo de empresários pernambucanos, entre eles: Mário Melo, os irmãos Arnaldo e Oscar Moreira Pinto; Natividade e Rafael Fischer, da Companhia de Bondes do Recife e a família Vitta. Foi criado, assim, o Quartel General do Frevo, na Pracinha do Diário. Hoje a Federação congrega todas as agremiações do Estado, funciona no Pátio de Santa Cruz, 438. Atual presidente José Manuel Mendes.

CASA DO CARNAVAL - É uma entidade administrada pela Fundação de Cultura da Cidade do Recife, tendo como objetivo divulgar, promover e projetar tudo que se relaciona com a Cultura do Carnaval de Pernambuco. Nela encontra-se vasto material em fotografia, fantasia, adereços e estandartes sobre a história do carnaval e todas as suas manifestações folclóricas. Funciona no Pátio de São Pedro, 52

PÁTIO DE SÃO PEDRO - Local de apresentação folclórica durante todo o ano, transforma-se em um dos grandes salões do carnaval de rua durante o período momesco. O Pátio de São Pedro, que fica no coração da cidade, e testemunha de todo o tipo de manifestação popular, suas pedras podem contar a riqueza cultural da cidade.

LOURENÇO DA FONSECA BARBOSA - CAPIBA - Compositor, nasceu na cidade de Surubim-PE, a 28/10/1904 e morreu em 31/12/1997. Os 90 anos de vida foram comemorados durante o decorrer de todo o ano de 1995 no Carnaval, no Recifolia, por várias agremiações carnavalescas e a sociedade recifense em geral. Capiba no início de sua carreira, gostava de musicar os poemas dos seus poetas preferidos, como também criava seus próprios poemas. Assim surgiu "Maria Betânia", gravado por Nelson Gonçalves, em, 1944, e tantos outros como: A Mesma Rosa Amarela, Casinha Pequenina, Gosto de te ver cantando, Quem me dera, Deixa o homem se virar, Vamos pra casa de noca, Ai se eu tivesse, etc.

NASCIMENTO DO PASSO - Mestre no frevar, é um professor da arte de fazer o passo, antigo defensor da tradição do frevo, ministra cursos onde ensina a crianças, jovens e adultos, os mistérios da coreografia carnavalesca. Novas personalidades surgem para engajar-se na perpetuação das tradições culturais de Pernambuco, como os jovens que compõem os grupos: Bacnaré, Daruê Malungo, Cia Trapiá de Dança, Grêmio Pernambucanidade Viva Cia., entre muitos outros que vem surgindo.


Direitos Reservados à Autora
Claudia M. de Assis Rocha Lima

COMO CITAR ESTE TEXTO:

Fonte:
RECIFOLIA. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia mês ano. Ex.: 6 ago. 2009.

 

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco