Home
Hino de Olinda

 

 Letra: Themístocles de Andrade
Música: Capitão Zuzinha

Olinda, cofre sublime
de brilhantes tradições. 
Teu nome beleza exprime
e produz inspirações.
Teu céu, teu mar, teus coqueiros,
ruínas, praias, luar,
despertam sonhos fagueiros,
deslumbrando o nosso lar.

Estribilho

Glória a Duarte Coelho
que ouvindo o justo conselho
de inspiração genial, 
deu luz, prestígio, beleza,
a ti, Olinda imortal.

Olinda tão sedutora,
quanta beleza conténs!
Sendo assim merecedora
do lindo nome que tens. 
De nossa brasilidade
foste o berço singular!
No teu solo a liberdade
nunca deixou de brilhar.

Olinda, honrando a memória
do artista que te fundou, 
com ele reparte a glória
que tua fama alcançou.
Que majestade suprema
existe em tudo o que é teu!
tu és, Olinda, um poema
que a natureza escreveu!...

 

 

Recife, 18 de julho de 2003.

(Texto atualizado em 22 de novembro de 2007)

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco