Home
José Lins do Rego

BIOGRAFIA · 1901 - 1926
PRIMEIROS ANOS


José Lins do Rego
Foto de Phil Shaefer
Recife, c.1918
Acervo Iconografia da FJN

1901

3 de junho. Nasce José Lins do Rego Cavalcanti, no engenho Tapuá, em São Miguel de Taipu, Paraíba. Filho de João do Rego Cavalcanti e Amélia Rego Cavalcanti. Morre sua mãe e o pai afasta-se para viver em outro engenho. Passa a viver com o avô materno – José Lins Cavalcanti de Albuquerque – no engenho Corredor, município de Pilar, Paraíba, sob os cuidados da sua tia Maria.

"Tanto me contaram a história que ela se transformou na minha primeira recordação da infância. Revejo ainda hoje a minha mãe deitada na cama branca, a sua fisionomia de olhos compridos, o quarto cheio de gente e uma voz sumida que dizia:

– Maria, deixa ele engatinhar para eu ver.

Pus-me a engatinhar pelo chão de tijolo e a minha mãe sorria e eu ouvia o choro convulso da minha tia e uma voz grossa:

– Ela está morrendo." (José Lins do Rego. Meus verdes anos).

1909

Matricula-se no Internato Nossa Senhora do Carmo, em Itabaiana, na Paraíba, onde permanecerá os próximos três anos. Lê o livro de cavalaria Os doze pares de França, que o impressiona tanto quanto as histórias que ouvira da Velha Totônia.

1912

Inicia os estudos ginasianos no Colégio Diocesano Pio X, na Capital da Paraíba. Ingressa numa sociedade literária chamada Arcádia. Publica um artigo sobre Joaquim Nabuco na Revista Pio X.

1915

Muda-se para o Recife, onde cursa o Instituto Carneiro Leão e o Ginásio Pernambucano.

1916

Lê o Ateneu, de Raul Pompéia.

1918

Lê o romance Dom Casmurro, de Machado de Assis. Conhece também o futuro crítico literário Olívio Montenegro, então recém nomeado promotor, que lhe apresenta as obras de Stendhal e Rousseau.

1919

Matricula-se na Faculdade de Direito do Recife.  O período acadêmico será uma fase de muitas farras e desencantos. Consumiria em cerveja todo o dinheiro reservado para integrar o quadro de formatura de sua turma.

jlrtrio1920

Torna-se amigo, dentre outros, de José Américo de Almeida, Osório Borba, Luís Delgado e Aníbal Fernandes. Edita coluna literária no Diário do Estado da Paraíba, com o título "Ligeiros Traços".

1923

Junto com Osório Borba, funda, no Recife, o semanário Dom Casmurro. Publica crônicas no Jornal do Recife. Ainda neste mesmo ano, recebe o diploma de bacharel em Direito e conhece Gilberto Freyre, que passa a exercer sobre ele uma grande influência intelectual. Quando da sua morte, Freyre escreveria que fora José Lins "O mais constante, o compreensivo, o mais leal dos meus companheiros de geração."

1924

Casa-se com Filomena Massa (Naná), filha de senador, advindo desse casamento três filhas: Maria Elisabeth (produtora de um documentário sobre o pai: José Lins do Rego, 1969), Maria da Glória e Maria Cristina.

1925

É nomeado promotor público em Manhuaçu, Minas Gerais. Assina a Nouvelle Revue Française, lê os autores modernistas, mas principalmente Thomas Hardy e Marcel Proust.


Na foto acima: José Lins,Olívio Montenegro e Gilberto Freyre
anos 20. Acervo Fundação Joaquim Nabuco

 

1926

Desiste de fazer carreira na magistratura e transfere-se para Maceió, Alagoas, onde passa a exercer as funções de fiscal de bancos. Na capital das Alagoas, conhece e passa a conviver com a nata da sua jovem intelectualidade: Graciliano RamosRachel de Queiróz, Aurélio Buarque de Holanda, Jorge de Lima, Valdemar Cavalcanti, Aloísio Branco, Carlos Paurílio, dentre outros. Nessa época, segundo Valdemar Cavalcanti, José Lins era um "fiscal de banco, de bengala, monóculo e costeletas" que escrevia no Jornal de Alagoas

Recife, 21 de julho de 2003.
(Texto atualizado em 17 de março de 2008)

FONTES CONSULTADAS:

CAVALCANTI, Valdemar. José Lins, cronista. 
Ciência & Trópico, Recife, v. 10, n. 2, p. 143-148, jul./dez. 1982.

FIGUEIREDO, Nestor Pinto de.
Onde nasceu José Lins do Rego, afinal? [S. l. : s. n.], 2000.

COMO CITAR ESTE TEXTO:

Fonte: JOSÉ Lins do Rego: biografia. 
Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco