Home
Segarrega (jornal)

 

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

Segarrega, cujo primeiro número saiu no dia 8 de dezembro de 1821, foi o segundo jornal a circular na cidade do Recife, nove meses depois do Aurora Pernambucana (27 de março de 1821).

 

Com quatro páginas e medindo 27 x 18cm, traz abaixo do título a fraseBrincando, contarei verdades puras e, no frontispício, um vinheta com umacegarrega (instrumento popular que produz som semelhante ao canto da cigarra, pela fricção de sarrafo sobre um tubo canelado, cuja grafia atual é com c), numa moldura hexagonal.

 

O seu redator, Filipe Mena Calado da Fonseca, um português radicado no Recife desde criança e que foi um dos participantes do movimento de 1817, além de ex-secretário da junta revolucionária de Goiana, traz no artigo de abertura, uma idéia de qual seria a sua linha editorial:

 

Não pretendo dar uma determinada direção à opinião pública; limitar-me-ei a narrar fatos despidos de todo o atavio de figuras. Minhas reflexões serão imparciais e não serei aferrado aos meus princípios ao ponto de desprezar as advertências dos meus correspondentes.Prometo ser fiel à palavra. Referir acontecimentos, eis a principal tarefa da Segarrega, que também acolhe a correspondência noticiosa e oficiosa [...].

 

Impresso na Tipografia Nacional, que era do governo, a partir do número 16, de 31 de agosto de 1821, passou para a tipografia de Cavalcanti & Cia, empresa que havia comprado a tipografia oficial.

 

Editado entre  dezembro de 1821 e outubro de 1823, noticiava ações  sobre os ideais  republicanos, defendendo a liberdade política, passando depois a se opor à corrente republicana. Divulgava atos oficiais; correspondências entre o governo pernambucano e o regencial; notícias das províncias vizinhas e do exterior; avisos de interesse público, como saída de embarcações do porto do Recife, venda de imóveis, gêneros alimentícios, compra e venda de escravos.

 

Com periodicidade irregular circulava ora duas vezes por mês, ora mensalmente, ora bimestralmente.

Seu último número (27)  foi publicado no dia 27 de outubro de 1823.

Hoje, é possível consultar uma coleção com 24 edições do Segarrega na biblioteca do Instituto Ricardo Brennand (IRB), localizado no bairro recifense da VárzeaO Centro de Documentação e Estudos da História Brasileira, da Fundação Joaquim Nabuco, também possui uma coleção do jornal em microfilme.   

Recife, 24 de abril de 2008.

(Atualizado em 8 de setembro de 2009).

 

FONTES CONSULTADAS:

 

NASCIMENTO, Luiz do. História da imprensa de Pernambuco, 1821-1954. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 1969. v. 4.

 

SILVA, Leonardo Dantas. A Imprensa e a Abolição. Recife: Fundaj, Ed. Massangana, 1988. 184 p.

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

Fonte: GASPAR, Lúcia. Segarrega (jornal)Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco