Home
Mercado da Encruzilhada

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco



 As obras do Mercado da Encruzilhada foram iniciadas em março de 1924, sendo inaugurado em 18 de outubro do mesmo ano, pelo então governador de Pernambuco Sérgio Loreto.

O projeto também contemplava o ajardinamento do largo em frente ao mercado e um pavilhão para a realização de retretas (concerto popular de uma banda de música em praça pública), com arborização e calçamento.

Em substituição a essa construção que, além de pequena, não apresentava condições higiênicas satisfatórias, foi inaugurado no dia 9 de dezembro de 1950, pelo então governador do Estado Alexandre José Barbosa Lima Sobrinho, um novo edifício para o mercado.  Possuía uma área coberta de 2.800m²; 153 compartimentos, arejados e bem iluminados, com placas indicativas dos gêneros comercializados;  200m² de área ajardinada, pisos em granito artificial, cerâmica e pedra granítica; paredes revestidas com azulejos por questões de limpeza e higiene; duas câmaras frigoríficas, para evitar a perda de alimentos como carne, peixe, frutas e verduras; dezoito sanitários, bares, cozinhas e depósitos. Construído sobre lajes de concreto, o pavimento superior foi destinado à administração do Mercado.

Considerada na época uma obra arquitetônica modelo, no gênero, para o Brasil, a inauguração contou, além de diversas autoridades, com a presença de engenheiros e técnicos de diversas partes do país, que estavam participando da Semana do Engenheiro realizada no Recife. A fita simbólica foi cortada pelo então presidente do Conselho Nacional de Engenharia, Morales de los Rios.

Em 1998, o Mercado da Encruzilhada sofreu uma nova reforma, sendo reinaugurado, mais uma vez.  Foram recuperados o prédio, jardins e calçadas; o sistema de drenagem de água, que era composto de manilhas de barro, foi trocado por canalização de PVC; foram colocados banheiros novos e bem equipados para os locatários.

Atualmente, sua clientela é composta por juízes, políticos, advogados, intelectuais, gente do povo. Nas suas dependências, são servidas comidas típicas da cozinha pernambucana, no café da amanhã e também almoços comerciais. Na Praça da Alimentação, na ala sul, pode-se saborear peixadas ou pratos de feitos com bacalhau.

Nos seus boxes, são comercializados frutas, verduras, cereais, ração para animais, gaiolas, aquários, artigos de armarinho, artesanato, frios, carnes, aves e peixes, entre outros produtos. Há 10 peixarias, que vendem, semanalmente, mais de quatro toneladas de peixes e 230 quilos de crustáceos.

Segundo informação do desenhista Waldemiro Lima, sua área coberta supera a do Mercado de São José em cerca de 300 metros quadrados.

O Mercado da Encruzilhada fica localizado na Rua Dr. José Maria, no bairro da Encruzilhada e, apesar de ter passado por várias reformas, suas características arquitetônicas originais não foram alteradas. 

Funciona de segunda a sábado, das 6h às 18h, e aos domingos das 6h às 12h.

                                                                 

Recife, 7 de novembro de 2006.

FONTES CONSULTADAS:

DOCUMENTÁRIO de uma administração: governo Barbosa Lima Sobrinho, fevereiro 1948 –janeiro 1951: estado de Pernambuco. [Recife, 1951?]. Não paginado.

 

MERCADO da Encruzilhada. Revista de Pernambuco, Recife, ano 1, n.2, [s.p.], ago. 1924. 

 

MERCADO da Encruzilhada. Disponível em: <http://www.recife.pe.gov.br/pr/servicospublicos/csurb/mercados.html#3> Acesso em: 30 out. 2006.

 

MERCADOS. Disponível em:<http://www.pernambuco.com/turismo/mercados.shtml>. Acesso em: 20 out. 2006.

 

COMO CITAR ESTE TEXTO: 

 

Fonte: Gaspar, Lúcia. Mercado da Encruzilhada. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009. 

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco