Home
Museu de Arte Moderna da Bahia
Ter, 06 de Julho de 2010 16:33

Albino Oliveira
Museólogo da Fundação Joaquim Nabuco
Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

O Museu de Arte Moderna da Bahia – MAM/BA foi criado legalmente em 1959 e inaugurado em 6 de janeiro de 1960. Seguido da criação dos museus de arte moderna do Rio de Janeiro (1948) e de São Paulo (1949), o MAM/BA é o terceiro museu de arte moderna aberto ao público no Brasil.

Pensado com o intuito de internacionalizar a vida cultural da cidade de Salvador, o MAM/BA foi projetado em uma época de efervescência cultural local promovida, principalmente, pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Neste período, destacam-se a criação da Escola de Teatro, o Clube de Cinema, o Seminário de Música, a Escola de Dança e o Salão Baiano de Belas Artes. Alguns historiadores denominam a soma destas iniciativas culturais como “modernismo baiano”.

A arquiteta Lina Bo Bardi, a convite do governo do Estado da Bahia, foi a responsável pela implantação do Museu. De origem italiana, Lina chegou ao Brasil em 1946 e, com o marido Pietro Maria Bardi, participou ativamente da criação do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand – MASP. Seu contato com a cidade de Salvador se inicia em 1958, quando leciona na Escola de Belas Artes e escreve uma coluna no Diário de Notícias, chamando atenção à especulação imobiliária e aos destinos da cidade. O museu idealizado por Lina deveria ser um catalisador cultural da região Nordeste do Brasil, agregando as artes moderna e popular.

O MAM/BA funcionou provisoriamente em um salão do Teatro Castro Alves, passando a ter como sede definitiva, em 1966, o conjunto arquitetônico do Solar do Unhão. Construído no século XVII, com vista para a Baía de Todos os Santos, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, em 1943, e depois adquirido e restaurado pelo governo do Estado da Bahia, na década de 1960.

O projeto de ocupação e reforma do Solar, desenvolvido pela própria Lina Bo Bardi, contemplou a criação de um segundo museu, o Museu de Arte Popular – MAP. A arquiteta idealizou um museu-escola, para crianças e jovens, articulando o erudito e o popular com vistas a romper as barreiras normalmente estabelecidas pelos museus de arte. Na sua imaginação, MAM e MAP deveriam ser totalmente integrados. A reforma do imóvel incorporou todas as alterações significativas que o conjunto arquitetônico sofreu durante sua história e gerou amplos espaços ligados por uma escada central com encaixes que, segundo a arquiteta, reproduzem os encaixes usados nos carros de boi.

Após o Golpe Militar de 1964, Lina Bo Bardi foi afastada do cargo e os dois museus unificados sob o nome Museu de Arte Moderna da Bahia.

Depois de um longo período de abandono, o Museu iniciou destacado processo de revitalização na década de 1990, com a criação do Salão de Arte da Bahia, que propiciou a ampliação do acervo e com a construção do Parque das Esculturas, que agregou novos elementos à percepção do visitante.

O acervo do MAM/BA conta com obras de artistas de várias gerações. Dos modernistas Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral e Cândido Portinari aos contemporâneos Siron Franco, Tunga e Carlos Melo. O acervo contempla também a rica produção baiana, possuindo obras de artistas como Mario Cravo Junior, Carybé, Calasans Neto, Juarez Paraíso, Mario Cravo Neto, Mestre Didi, entre outros. Merece destaque a coleção do artista soteropolitano Rubem Valentim – esculturas, pinturas e serigrafias construídas sobre símbolos ancestrais de origem africana.

Recife, 28 de maio de 2010.

FONTES CONSULTADAS:

O MUSEU de Arte Moderna da Bahia. São Paulo: Banco Safra, 2008.

MUSEU de Arte Moderna da Bahia. Disponível em: <http://www.mam.ba.gov.br>. Acesso em: 26 mai. 2010.

MUSEU de Arte Moderna da Bahia. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Mamba-preta>. Acesso em: 26 mai. 2010.

COMO CITAR ESTE TEXTO:

Fonte: OLIVEIRA, Albino. Museu de Arte Moderna da Bahia. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco