Home
Inspetoria de Monumentos De Pernambuco(1928-1933)

Rodrigo Cantarelli
Arquiteto e Museólogo da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Criada a partir da lei n.º 1918, de 28 de agosto de 1928, durante a gestão do governador Estácio Coimbra, a Inspetoria de Monumentos de Pernambuco, oficialmente denominada Inspetoria Estadual dos Monumentos Nacionais de Pernambuco, foi o primeiro órgão no estado, e um dos primeiros do Brasil, responsável pela preservação do patrimônio. Vinculado a ela também foi criado o Museu Histórico e de Arte Antiga do Estado de Pernambuco, hoje conhecido como Museu do Estado.

A Inspetoria iniciou suas ações no ano seguinte, quando foi, de fato, instituída a partir do Ato n.º 240, publicado em 8 de fevereiro de 1929 no Diário Oficial do Estado. Anníbal Fernandes foi nomeado para o cargo de Inspetor e iniciou os trabalhos do órgão a partir de um inventário dos edifícios de valor histórico no estado, ao mesmo tempo que começou a coletar acervo para o museu. Espalhados por dez municípios, a tipologia dos edifícios selecionados por Anníbal não diferia muito entre si. O Recife, naturalmente, predominou na listagem final, totalizando 53% dos monumentos identificados, seguido por Olinda, com 22% do total, e Igarassu, com 8%.

Paralelo ao trabalho de identificação e inventário, Anníbal Fernandes ainda solicitou, orientou e fiscalizou a realização de diversas obras em edifícios históricos como os realizados na capela de São Mateus, do engenho Massangana, e nos conventos franciscanos de Igarassu e de Olinda, no entanto, a mais importante delas foi a restauração da Igreja da Madre de Deus, no Recife. Esta foi a primeira obra no estado e, possivelmente, no país, onde foram adotados princípios clássicos da teoria da restauração. 

Já o Museu Histórico e de Arte Antiga do Estado de Pernambuco, mais comumente chamado pela imprensa de Museu Pernambucano ou simplesmente Museu do Estado, somente foi aberto em 7 de setembro de 1930, nos salões da cúpula do Palácio da Justiça, inaugurado no mesmo dia. 

A formação da coleção do museu teve início ainda em 1928, quando alguns dos bens da coleção do Comendador Baltar foram comprados pelo governo do estado. Até o dia da inauguração Anníbal ainda adquiriu para o museu a coleção do Liceu de Artes e Ofícios e objetos de diversas outras instituições, como o Tribunal do Júri, o Tesouro do Estado, o Palácio do Governo, o Senado Estadual, a Biblioteca Pública, o Ginásio Pernambucano e a Casa Detenção. Além dessas transferências de instituições públicas, ainda foram levados para o acervo do museu ex-votos de igrejas do Recife e seus arredores, e doados muitos objetos de colecionadores particulares.

Esse cenário mudou a partir da Revolução de 1930 quando as antigas lideranças políticas foram perseguidas e tiveram que fugir, abandonando seus cargos públicos, e tirando do poder as figuras que idealizaram a criação da Inspetoria de Monumentos e o Museu do Estado, como Gilberto Freyre e Anníbal Fernandes.

O cargo de Inspetor de Monumentos e de Diretor do Museu foi nesse momento assumido por Mário Melo, que viu as duas instituições irem definhando aos poucos, sem verbas suficientes para se manter. Por fim, em 30 de dezembro de 1933, através da publicação do Decreto 260, o Interventor Federal Carlos de Lima Cavalcanti realizou um desejo antigo e extinguiu a Inspetoria e o Museu do Estado, incorporando-os à estrutura da Biblioteca Pública.

Recife, 10 de fevereiro de 2014.

FONTES CONSULTADAS:

CANTARELLI, Rodrigo. Contra a conspiração da Ignorância com a maldade: A Inspetoria de Monumentos de Pernambuco. Recife: Fundaj, Editora Massagana, 2014.

FERNANDES, Anníbal. O trabalho que está realizando a Inspetoria de Monumentos em Pernambuco. A Província, Recife, 6 set. 1930.

______. Relatório da Inspetoria Estadual dos Monumentos Nacionais: apresentado a 28 de abril de 1928 ao Sr. Secretário da Justiça e Negócios Interiores. Recife: Imprensa Oficial, 1929. 62 p.

______. Relatório da Inspetoria Estadual dos Monumentos Nacionais: apresentado a 19 de fevereiro de 1930 ao Sr. Secretário da Justiça e Negócios Interiores. Recife: Imprensa Oficial, 1930. 83 p.


COMO CITAR ESTE TEXTO:

Fonte: CANTARELLI, Rodrigo. Inspetoria de Monumentos de Pernambuco (1928-1933). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em:<http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/ . Acesso em: dia mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco