Home
Trava-língua
Veja também a Atividade Pedagógica Trava-línguas!
 
É um pequeno texto, rimado ou não, de pronunciação difícil.

O rato roeu a roupa do rei de Roma.

A aranha arranha a jarra, a jarra arranha a aranha; nem a aranha arranha a jarra nem a jarra arranha a aranha.

Se a liga me ligasse, eu ligava a liga, mas como a liga não me liga, eu não ligo a liga.

O doce perguntou ao doce qual o doce mais doce e o doce respondeu ao doce que o doce mais doce é o doce de batata-doce.

Quatro pratos de trigo para quatro tigres tristes.

Um ninho de mafagafos cheio de mafagafinhos.

Se o Papa papasse papa / Se o Papa papasse pão / O Papa tudo papava / Seria o Papa papão.

Farofa feita com muita farinha fofa faz uma fofoca feia.

Quero que você me diga, / Sete vezes encarrilhado / Sem errar, sem tomar fôlego: - Vaca preta, boi pintado.

Tudo indica que Amadeu Amaral e Alcides Bezerra foram os autores do termo trava-língua. É também conhecido como parlenda com obstáculo ou problema para desenferrujar a língua, porque quando dita pelas pessoas com rapidez freia a língua de quem a está pronunciando.

Muitos trava-línguas quando pronunciados de maneira rápida, resultam em cacofonia (sons desagradáveis ou palavras obcenas, resultantes da união das sílabas finais de uma palavra com as iniciais da seguinte).

É um recurso muito utilizado por repentistas para derrotar o adversário em pelejas.

Podem aparecer também em forma de quadra:

Um sapo dentro do saco 
O saco com o sapo dentro 
O sapo batendo o papo 
E o papo cheio de vento

Num ninho de mafagafos 
Seis mafagafinhos há; 
Quem os desmafagafizar, 
Bom desmafagafizador será.

Lá vem o velho Félix 
Com um fole velho nas costas
Tanto fede o velho Félix
Como o fole do velho Félix fede

Pinga a pipa
Pia o pinto
O pinto pia
A pipa pinga

 

 

Recife, 4 de julho de 2003.

(Atualizado em 8 de setembro de 2009).

Ilustrações de Rosinha.

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

CAVALCANTI, Zaida. TravalínguasRecife: FJN, Inpso., 1983. ( Folclore, n.130).

 

MELO, Veríssimo de. Cantador de viola. Recife: Concórdia, 1961. p.49-52.

 

ROSSATO, José Carlos. Nosso folclore. São Paulo: Soma, 1987. p. 15-16.

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: GASPAR, Lúcia. Trava-LínguaPesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"