Home O
Orlando Parahym

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 

Médico, professor universitário e político, Orlando de Souza Parahym nasceu no dia 23 de novembro de 1911, na Rua do Riachuelo, n.21, no Recife, filho único de Manoel e Maria da Encarnação Parahym.

Foi aluno do Ginásio Pernambucano e graduou-se, em 1935, pela Faculdade de Medicina do Recife, atual Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE.

Recém-formado, mudou-se para Salgueiro, no sertão de Pernambuco, onde além de exercer atividades na área de saúde, atuou como professor nas principais escolas do município.

Em dezembro de 1937, casou-se com Odete Soares, moça de uma das mais tradicionais famílias sertanejas, com a qual teve cinco filhos, Paulo Orlando, Maria de Fátima, Maria Luiza, que morreu no primeiro ano de vida, Maria da Encarnação e Carmem Sílvia.

Em abril de 1937, foi nomeado técnico de saúde para o Serviço Público Estadual, em Salgueiro, onde também chefiou o Posto de Higiene e foi Inspetor Sanitário.

Além de médico, professor e sanitarista foi um grande incentivador das atividades culturais e manifestações folclóricas de Salgueiro.

Em 1951, a convite do então governador de Pernambuco Agamenon Magalhães, mudou-se com a família para o Recife, onde assumiu o cargo de Secretário de Saúde do Estado, exercendo-o até 1952.

Com a morte inesperada do governador, Orlando Parahym deixou a Secretaria e passou a exercer a presidência do IPSEP – Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Pernambuco (1953/1954).

Foi diretor de vários órgãos públicos do Estado, deputado estadual eleito por dois mandatos consecutivos (1955/1962) e professor concursado na cadeira de Medicina Preventiva, na Faculdade de Medicina da UFPE e na de Ciências Médicas, da Universidade de Pernambuco – UPE.

Colaborou regularmente com artigos para os jornais Correio da Manhã Diario de Pernambuco.

Participou de diversas instituições médicas, literárias e históricas. Em 21 de janeiro de 1967, ingressou na Academia Pernambucana de Letras, ocupando a cadeira 14, na vaga do acadêmico João Vasconcelos.

Dedicou-se, durante mais de vinte anos, ao estudo e à pesquisa sobre a nutrição do sertanejo, publicando cerca de vinte e cinco a trinta trabalhos em revistas especializadas e livros sobre o tema, entre os quais, O problema alimentar do sertão (1940); A vitamina C e a alimentação sertaneja (1942); Adaptação visual entre os sertanejos nordestinos (1944); ABC da alimentação(1945); A alimentação do operário sertanejo durante a seca(1945); Aspectos clínicos da avitaminose no sertão pernambucano(1952); Escola, alimentação e saúde (1969);Antropologia e alimentação (1970); Vitamina A: vitamina da vista (1986).

É autor também de diversas publicações em outras áreas como a da medicina preventiva e social (Estudo demográfico sanitário da criança na cidade de Salgueiro,1943; Endemias brasilieras, 1961; Iniciação à medicina preventiva,1972; educação (Universidade e valorização regional, 1962; Homens e livros,1967; história e biografia (História do abastecimento d`água do Recife, 1953; Figuras e fatos da Independência1972; Caxias patrono do Exército Santos Dumont, 1973; José Mariano,1976; Traços do Recife: ontem e hoje, 1978.

Orlando Parahym faleceu no Recife, no dia 17 de junho de 1999.

 


Recife,  11 de julho de 2003.
Atualizado em 31 de agosto de 2009).
Atualizado em 14 de novembro de 2016.

 


 
FONTES CONSULTADAS:

 

 

 

CARRERO, Raimundo. Orlando parahym: o arco e o escudo. Recife: Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco, 2001. 182p. (Perfil parlamentar século XX, v.16).

ORLANDO Parahym [Foto neste texto]. Disponível em: <http://www.fernandomachado.blog.br/novo/?paged=5&tag=conde>. Acesso em: 14 nov. 2016.

PAIVA, Rivaldo. O mestre orlando Parahym. Suplemento Cultural D.O. PE., Recife, ano 15, p.12, set. 2001.

TÁVORA, José Geraldo. Presença médica na Academia Pernambucana de Letras. Recife: UFPE. Ed. Universitária, 1996. p.291-329.

 

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

 

Fonte: GASPAR, Lúcia. Orlando Parahym. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br//>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco