Home
Romarias

 

Maria do Carmo Andrade

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.


      

       Romaria pode ser definida como viagem ou peregrinação a algum local religioso ou de devoção, centro de peregrinações cristãs ou reunião de devotos que participam de uma festa religiosa. O romeiro é a pessoa que toma parte na romaria. Segundo Câmara Cascudo, a tradição da romaria foi trazida para o Brasil pelos portugueses.

A romaria é um evento que possui três fases: a viagem, a chegada e o retorno do romeiro. Por ser de caráter religioso, há na romaria celebração de missas, procissões, e outras atividades coordenadas pela Igreja. Há devocionais realizadas pelos leigos e atividades paralitúrgicas.

 

Quando a pé, os romeiros se intitulam caminheiros e seguem sós, em duplas, ou em grupos. Entre os que seguem sós, alguns podem arrastar cruzes por uma distância às vezes superior a 100 quilômetros. Há caminheiros que se organizam em grupos que peregrinam regularmente, alguns com décadas de caminhadas.

 

Os devotos seguem em romaria para pagar as promessas ou ex-votos (objeto doado aos santos em satisfação de uma súplica atendida). A promessa pode constar da obrigação de praticar ou não determinados atos, abster-se de usar certas cores, servir-se de alimentos indicados, conservar cabelo e barba, sendo homem, cortar o cabelo, sendo mulher, vestir exclusivamente uma cor ou cumprir infinito número de deveres penitenciais oferecidos no momento da aflição.

 

A romaria também é constituída por outras atividades destacando-se as feiras, o comércio, os folguedos populares, os shows, as festas. Depois de pagar as promessas através de doações, entrega de ex-votos e assistência ao cerimonial litúrgico, os romeiros se reúnem na parte externa das romarias, que se transforma em centros de interesse folclórico, pela variedade dos elementos convergentes, danças, cantos, alimentos, indumentárias, sincretismo religioso, que encontram nesses movimentos as condições ideais à exteriorização dos vários tipos de manifestações populares.

 

A romaria é realizada pelos romeiros, pela Igreja, e também pela população do lugar, pelos homens de negócios e pelos políticos, cada grupo fazendo suas ofertas e participando do evento com interesses diferentes.

 

No Brasil, os principais centros de romarias são: Nossa Senhora de Nazaré, em Belém do Pará; São Francisco de Canindé em Canindé, Ceará; Bom Jesus do Bonfim, em Salvador, Bahia; Bom Jesus da Lapa, Pirapora, rio São Francisco; Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, São Paulo. A igreja de Aparecida foi elevada à dignidade de Basílica, em 1908, e a Virgem Aparecida foi proclamada padroeira principal do Brasil,  através de decreto de 16 de julho de 1930. O Papa Paulo VI ofereceu ao Santuário o título de “Rosa de Ouro”, em reconhecimento a importância da santa devoção.

 

Também em são Paulo, acontece a romaria de Bom Jesus de Pirapora que, aliás, é um traço natural na cultura tradicional do estado. A romaria é feita a pé, de bicicleta, a cavalo, de charrete, de moto, de carro, em ônibus fretados ou de carreira. As romarias acontecem durante todo o ano, apresentando ciclicamente grandes picos que chegam a demandar ações especiais dos departamentos de trânsito.

 

Na verdade, todos os estados do Brasil têm lugares de predileção popular para romarias locais, festas dos oragos (santo que dá nome a uma capela, um templo ou uma freguesia) e tudo mais.

 

Em Juazeiro do Norte, Ceará, as romarias do Padre Cícero sempre são notícias nos principais jornais do estado. A demanda dos romeiros por objetos religiosos, de lembranças do Padre Cícero, como fitinhas coloridas, estátuas de gesso, quadros, camisetas, e a estampa do seu rosto em muitos outros objetos, além do tradicional artesanato, movimentam a economia local.

 

Embora a Igreja não tenha canonizado o Padre Cícero, ele continua sendo o santo milagroso, padrinho, e protetor de milhares e milhares de nordestinos, que o chamam carinhosamente de “Padim Ciço”.

 

Um pequeno centro de devoção muito procurado no Nordeste do Brasil, é o Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis, no alto da serra do Lima, arredores da cidade do Patu, Rio Grande do Norte.

 

Em Pernambuco, destaca-se a romaria de São Severino Ramos, no município de Paudalho. É considerada a terceira maior romaria do Brasil. De setembro a Janeiro, milhares de romeiros afluem ao local.

 

 

Recife, 5 de dezembro de 2006.

(Atualizado em 14 de setembro de 2009).


FONTES CONSULTADAS:


CÂMARA CASCUDO, Luis da. Dicionário do folclore brasileiro. 3.ed. Brasília:INL/MEC, 1972.


PAUDALHO. Diario de Pernambuco, Recife, 26 maio 2006.
Retratos de Pernambuco.


[ROMARIAS] Disponível em: <
www.paginaoriente.com> Acesso em 23/11/2006


______. Disponível em: <
www.espacoacademico.com.br> Acesso em 23/11/2006


______. Disponível em: <
www.eca.USP.br> Acesso em 23/11/2006


______. Disponível em: <
www.brazilsite.com.br> Acesso em 23/11/2006


COMO CITAR ESTE TEXTO
:


Fonte
: ANDRADE, Maria do Carmo. RomariasPesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/

>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco