Home E
Estação Central - Recife

Semira Adler Vainsencher

Pesquisadora da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 

 

Em meados do século XIX (1850-1856) foi construída a estação inicial da Rede Ferroviária do Nordeste e ela foi chamada de Estação Central. Esta construção fica à esquerda do rio Capibaribe e defronte da atual Casa da Cultura, na rua Floriano Peixoto, situada no bairro de São José, no Recife.

A Estação Central, posteriormente, teve como objetivo servir à Estrada de Ferro Central de Pernambuco, tendo sido inaugurada no ano de 1888.

 

Na fachada do prédio é possível se observar dois torreões e, sobre eles, quatro águias de bronze de asas abertas. No meio da fachada, há um relógio com uma moldura artística. E, na entrada, pode-se ver quatro coroas de metal, onde estão gravados alguns símbolos e os seguintes nomes: Viollet-le-Duc / W. Young / F. Schimidt / Polonceau.

 

A Estação Central foi arrendada à Great Western of Brazil Railway Company, de Alagoas até o Rio Grande do Norte. Cabe ressaltar que a Great Western administrava as ferrovias brasileiras desde o princípio do século XIX.


Partindo da Estação Central, as pessoas podiam chegar em diversos pontos do 
Nordeste do Brasil, tais como o sertão do Cariri, no Ceará; Campina Grande, na Paraíba; as caatingas do Pajeú, em Pernambuco; ou às margens do rio São Francisco, em Alagoas.

 

Sobre o barulho dos trens da época, correndo sobre os trilhos em Palmares - a sua cidade natal - o célebre Ascenso Ferreira escreveria  o conhecido poema:

 

"[...]Mangabas maduras,

mamões amarelos,

mamões amarelos

que amostram, molengos,

as mamas macias

pra gente mamar...

 

Vou danado pra Catende,

vou danado pra Catende,

vou danado pra Catende

com vontade de chegar [...]”

Com o passar dos tempos, os trens se tornaram obsoletos e a sua rede de serviços não mais conseguia atender à demanda da população. Foi o começo da implantação do metrô de superfície do Recife – o METROREC – cujo primeiro trecho seria inaugurado em 1985. A antiga Estação se tornaria, então, a porta de entrada para esse meio de transporte moderno.

No presente, além disso, a Estação Central abriga a sede do Museu do Trem, que foi criado no ano de 1972 e teve como patrono o sociólogo Gilberto Freyre.

 

 

Recife, 24 de maio de 2004.
(Texto atualizado em 25 de março de 2008).

 

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

AGORA vá de metrô. Recife: METROREC; CBTU/EBTU/RFFSA, [1985].

 

FRANCA, Rubem. Monumentos do Recife: estátuas e bustos, igrejas e prédios, lápides, placas e inscrições históricas do Recife. Recife: Secretaria de Educação e Cultura, 1977.

 

METRÔ do Recife: solução social. Recife: METROREC, 1985.

 

ROCHA, Tadeu. Roteiros do Recife (Olinda e Guararapes). 3. ed. Recife: Gráfica Ipanema, 1967.

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: VAINSENCHER, Semira Adler. Estação Central (Recife, PE). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar>. Acesso em:dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco