Home
Silvino Pirauá de Lima

 

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

        

Um dos pioneiros da poesia popular brasileira, Silvino Pirauá de Lima, nasceu na cidade de Patos, Paraíba, em 1848.

Em 1898, por causa da seca, mudou-se para o Recife, capital de Pernambuco.

Tinha um irmão também poeta, José Martins, e foi discípulo do maior cantador do seu tempo, Francisco Romano Caluête, também conhecido comoRomano, Romano de Mãe d´AguaRomano do Teixeira Francisco Romano, com quem percorreu vários estados brasileiros, entre os quais o Pará, o Amazonas e o Maranhão, cantando improvisos em feiras e festas.

Silvino é considerado um dos maiores poetas populares do Nordeste e, como  Leandro Gomes de Barros, é tido com um dos criadores da literatura de cordel no Brasil. Por causa da variedade de temas por ele abordados e da sua erudição era chamado pelos contemporâneos de O Enciclopédico. Foi considerado o precursor do romance em versos no Brasil (composição mais longa que o folheto de cordel, reproduzindo temas da literatura oral ibérica).

Além de bom improvisador e glosador, introduziu várias inovações formais na poesia popular e é considerado o criador do martelo agalopado, cantado em ritmo acelerado.

 

Segundo o poeta Francisco das Chagas Batista, que conviveu com ele, em 1906, no Recife, Pirauá tocava viola admiravelmente e foi repentista exímio, afirmação encontrada no seu livro Cantadores e poetas populares, publicado em 1929.

Os seus romances vêm sendo reeditados e lidos há bastante tempo pelo homem do campo.

É autor, entre outros, dos seguintes folhetos de cordel: Desafio de Zé Duda com Silvino Pirauá (16 p.); História de Crispim e Raimundo, publicado em 1909; História do capitão do navio (16 p.); História de três irmãs que queriam casar com um rapaz só (12 p.); História de Zezinho e Mariquinha;.A vingança do sultão; Descrição da Paraíba.

Morreu na cidade de Bezerros, Agreste pernambucano vítima de varíola, em 1913.

Recife, 27 de novembro de 2008.

(Atualizado em 8 de setembro de 2009).

FONTES CONSULTADAS:

ALMEIDA, Átila Augusto F. de; ALVES SOBRINHO, José. Dicionário bio-bibliográfico de repentistas e poetas de bancada. João Pessoa: Ed. Universitária; Campina Grande, PB: Centro de Ciências e Tecnologia, 1978. v. 1.
GRILLO, Maria Ângela de Faria. A arte do povo: histórias na literatura de cordel (1900-1940).255 f. 2005. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2005.
MAYA, Ivone. Silvino Pirauá de Lima: biografia. Disponível em: <http://www.casaruibarbosa.gov.br/cordel/SilvinoPiraua/silvinoPiraua_biografia.htm>.  Acesso em: 28 nov. 2008.

PIRAUÁ, Silvino. Disponível em: <http://www.pbnet.com.br/openline/fsatiro/pirauah.html>. Acesso em: 28 nov. 2008.

COMO CITAR ESTE TEXTO:

Fonte: GASPAR, Lúcia. Silvino Piruá de LimaPesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2017 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco