Home
Santo Amaro (Bairro, Recife)

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 

O bairro de Santo Amaro teve suas origens em 1681, quando o Major Luís do Rego Barros construiu sobre as ruínas do Forte das Salinas uma capela sob a invocação de Santo Amaro das Salinas, cujo padroeiro deu seu nome ao bairro.

 

Segundo o historiador Pereira da Costa, as ruínas do forte ainda podiam ser vistas em 1816. Reduto holandês, o forte foi tomado pelos pernambucanos no dia 15 de janeiro (dia de Santo Amaro) de 1654.

 

No século XIX, a capela junto com a Cruz do Patrão serviam de referência para as manobras dos que chegavam ao Porto do Recife.

 

Antigamente, em frente à igreja, na segunda quinzena de janeiro havia festa em homenagem ao Santo, com fogos de artifício, brinquedos de rua, quermesses, comidas típicas e novenas.

 

Em 1814, seria construído no bairro o Cemitério dos Ingleses, o primeiro da cidade, em um terreno doado pelo Governo da Província ao cônsul inglês. Em março de 1869, foi sepultado no local o General Abreu e Lima, mártir da Revolução de 1817.

 

Também localizado no bairro está o Cemitério de Santo Amaro, cuja construção foi iniciada no governo de Francisco do Rego Barros, o Conde da Boa Vista e inaugurado no dia 1º de março de 1851, sob a denominação deCemitério do Bom Jesus da Redenção de Santo Amaro das Salinas. Sua capela, concluída em 1855, foi projetada pelo engenheiro Mamede Ferreira.

 

Duas importantes artérias do Recife também ficam localizadas em Santo Amaro: a Av. Norte e a Av. Cruz Cabugá.

 

Na Av. Cruz Cabugá, ao lado do Cemitério dos Ingleses, fica a Praça General Abreu e Lima, onde há uma grande estátua de  Santo Amaro, de autoria do escultor Corbiniano Lins.

 

Também na Cruz Cabugá estão o Mercado de Santo Amaro, construído na gestão do prefeito Antônio de Góes Cavalcanti e inaugurado no dia 11 de junho de 1933; o Palácio Frei Caneca, construído para servir de local de despachos do Governo de Pernambuco (1967) e, mais ao norte, o Hospital de Santo Amaro, projeto do engenheiro José Tibúrcio Pereira Magalhães, prédio em estilo neoclássico construído entre 1872 e 1892 para ser o Asilo de Mendicidade.

 

Parque 13 de Maioo primeiro parque urbano histórico do Recife, inaugurado em 1939, é um dos logradouros expressivos do bairro, além de importantes edifícios públicos como a Biblioteca Pública Estadual, a Câmara de Vereadores e a Assembléia Legislativa.

 

O bairro de Santo Amaro é ligado ao do Recife pela ponte do Limoeiro, sobre o rio Beberibe, local de onde se pode contemplar lindas vista da cidade.

                              

Recife, 2 de fevereiro de 2006.

(Atualizado em 16 de setembro de 2009).

 


 

FONTES CONSULTADAS:

 

 

CAVALCANTI, Carlos Bezerra. O Recife e seus bairros. Recife: Câmara Municipal, 1998.

 

FRANCA, Rubem; Monumentos do Recife: estátuas e bustos, igrejas e prédios, lápides, placas e incrições históricas do Recife. Recife: Governo de Pernambucop, Secretaria de Educação e Cultura, 1977.

 

PERFIL Municipal: histórico e evolução urbana. Recife: URB/DPU/DEP, 1989.

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

 

Fonte: Gaspar, Lúcia. Santo Amaro (bairro, Recife)Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco