Home
Brasília Teimosa (Bairro, Recife)

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

        

 

Situada na zona sul do Recife, entre os bairros do Pina, Boa Viagem e área do Porto do Recife, caracterizada por uma linha contínua de recifes paralela à costa e bem próxima da praia, Brasília Teimosa surgiu da ocupação de uma área denominada Areal Novo.

 

O local destinava-se à construção do Parque de Inflamáveis do Porto do Recife, fato que não ocorreu. O terreno ficou em litígio e acabou sendo invadido.

 

Essa comunidade foi sempre marcada por uma intensa luta em defesa de seus anseios, conseguindo permanecer num local valorizado e de interesse de grupos econômicos e políticos poderosos.

 

Em janeiro de 1956, cinco pescadores chegaram ao Rio de Janeiro vindos do Recife em uma pequena jangada para assistir a posse do presidente Juscelino Kubitschek e chamar a atenção para a comunidade, que vivia sob ameaças de expulsão do local ocupado. O nome Brasília Teimosa é uma homenagem à cidade de Brasília e à perseverança dos habitantes do bairro em nunca deixar a área, tendo resistido inclusive a dois incêndios misteriosos.

 

Através do programa Promoradia, tornou-se um dos primeiros locais a ser urbanizado, com recursos do antigo Banco Nacional da Habitação (BNH), sendo que a proposta de urbanização foi desenvolvida pelos próprios moradores, que constou do projeto conhecido como Teimosinho.

 

O projeto previa a retirada das palafitas existentes (concretizada quando se relocou as famílias para a Vila da Prata, em 1982), bem como a urbanização da beira-mar, com a implantação de equipamentos comunitários, que acabou não acontecendo, deixando a área propícia à nova invasão.

 

Uma segunda retirada, em 1986, transferiu as famílias para um terreno na Vila Moacir Gomes, cedido à Prefeitura do Recife pela Portobras. Novamente não foi urbanizada a área, ocasionando outra ocupação. Em 1989, as famílias das novas palafitas que surgiram foram retiradas para a Vila Teimosinho, se repetindo a questão das invasões.

 

Um novo projeto urbanístico para o bairro, envolvendo a Prefeitura do Recife e o governo federal, engloba ações não só urbanísticas, mas também ambientais, econômicas, sociais e culturais. Esse plano de ações efetivou-se a partir de janeiro de 2004. As palafitas foram removidas e os moradores alocados para um conjunto habitacional no bairro do Cordeiro.

 

A história do bairro, a mais antiga invasão urbana do Recife, foi contada por seus moradores num pequeno livro, financiado pelo Ministério da Educação e Cultura, editado em 1986 sob o título Brasília Teimosa.

 

De acordo com o censo do IBGE, Brasília Teimosa contava, em 2000, com 19.155 habitantes para uma área de 65,4 hectares, o que representa uma densidade de 292,88 hab/ha. No censo de 2010, houve uma diminuição da população do bairro. Hoje são 18.334 habitantes.

 

          

Recife, 15 setembro de 2006.

(Atualizado em 29 de novembro de 2011).


 

FONTES CONSULTADAS:


BRASÍLIA Teimosa. Disponível em: <
http://www.recife.pe.gov.br/especiais/recifesempalafitas/brasilia.php>. Acesso em: 12 set. 2006.


CRESCIMENTO sem equilíbrio no Recife. Jornal do Commercio, Recife, 17 nov, 2011. Cidades, Censo 2010, p. 4.

RABELO, Evandro. Brasília Teimosa. Edição Extra, Recife, ano 1, n. 2, p. 10, 17 ago. 1968.


SCHULER, Carlos Alberto et al. Evolução espaço-temporal da ZEIS Brasília Teimosa – Recife, PE: avaliação por fotointerpretação e verdade terrestre. Disponível em:<http://geodesis.ufsc.br/Geodesia-online/arquivo/cobrac_2004/055.pdf#search=%22brasilia%20teimosa%22>. Acesso em: 12 set. 2006.

 


COMO CITAR ESTE TEXTO
:


Fonte
: GASPAR, Lúcia. Brasília TeimosaPesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2020 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco