Home P
Ponte do Limoeiro, Recife

 

Virgínia Barbosa

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 

         Sobre o rio Beberibe, a Ponte do Limoeiro une o bairro do Brum ao de Santo Amaro, e a rua Cais do Apolo à Av. Norte.

 

         A primeira ponte erguida neste local era de metal, possuindo apenas os trilhos nos dormentes. Não havia passagem para pedestres. Fora construída em 1881 para dar passagem aos trens de uma estrada de ferro, a chamada linha norte do Estado, explorada pela Great Western, que se destinava à cidade de Limoeiro.  O Governo Provincial, desde 1868,  previa muito lucro no transporte ferroviário do açúcar pernambucano entre o Recife e a cidade de Limoeiro, uma vez que, no percurso planejado, havia muitos engenhos e fazendas de gado.

        

         Foi substituída por outra, construída em concreto pela Empresa Christian Nielsen, e inaugurada no dia 30 de julho de 1966 pelo Senador Pessoa de Queiroz, na administração do prefeito Augusto Lucena.

 

 

 

Recife, 16 de dezembro de 2005.

(Atualizado em 14 de setembro de 2009).

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

CAVALCANTI, Carlos Bezerra. O Recife e seus bairros. Recife: Câmara Municipal, 1998. 166 p. il.

 

FRANCA, Rubem. Monumentos do Recife. Recife: Secretaria de Educação e Cultura do Estado de Pernambuco, 1977. 382 p.

 

GONÇALVES, Fernando Antônio. O Capibaribe e as Pontes: dos ontens bravios aos futuros já chegados. Recife: Comunigraf, 1997. 86 p.

 

MELLO, Virgínia Pernambucano de. As pontes do Recife. Recife: Água Marinha Mídia Educacional, 2003. [CD-ROM]. Patrocínio de NC Energia-Grupo Neoenergia.

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: BARBOSA, Virgínia. Ponte do LimoeiroPesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco