Home
Praça do Entroncamento

 

Semira Adler Vainsencher

Pesquisadora da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Tempos atrás, a atual Praça do Entroncamento representava a interseção de vias férreas (as maxambombas) - a do Arraial, a da Várzea e a de Dois Irmãos. A denominação Entroncamento foi colocada pela população recifense, da mesma forma que se colocou o nome no bairro da Encruzilhada.

 Em seu centro, foi projetada um fonte de ferro, em estilo neoclássico, apresentando uma coluna esguia, com folhas e flores, e uma mulher e gárgulas, mais no alto, de onde escoa água.

 A Praça foi inaugurada na gestão do Prefeito Antônio Correia de Góis, com o nome oficial de Praça Correia de Araújo, uma homenagem a um governador que Pernambuco teve em 1896. Há uma inscrição, na base da fonte, com os seguintes dizeres:

 

Inaugurada em 19 de outubro de 1925.

Prefeito Antônio de Góis.

 Ao redor da fonte, pode ser apreciado um círculo de palmeiras.

 

A Praça do Entroncamento possui um grande número de mangueiras (Mangifera indica L.) que foram plantadas em 1924, por ocasião do governo de Sérgio Loreto. Nos últimos anos, o local foi revitalizado e, em seu interior, foi instalado um parque infantil.

 Perto da Praça, fica o Palácio de São José dos Manguinhos, no bairro das Graças, que serviu de residência oficial, durante muitos anos, do falecido Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Hélder Câmara, e, ao seu lado, está a Capela de São José dos Manguinhos.

Um pouco antes da Praça, encontra-se o tradicional Clube Português do Recife, fundado em 1934; e a Avenida Agamenon Magalhães. Antes desta avenida, fica o Colégio Ágnes Eriskine, que foi fundado por missionários presbiterianos e funciona desde 1904.

 Em volta da Praça do Entroncamento, devido ao acelerado processo de urbanização, os grandes casarões de outrora foram transformados em estabelecimentos comerciais de vários tipos: bancos, farmácias de manipulação, livrarias, entre outros. E, no presente, o logradouro representa uma artéria importantíssima, por onde circula grande parte dos veículos que vêm do subúrbio para o centro do Recife.

Anualmente, no mês de dezembro, a Praça do Entroncamento é iluminada por milhares de lâmpadas de Natal, que são colocadas em volta das árvores e plantas, do parque e dos postes. À noite, em especial, esse logradouro público se transforma em um magnífico cartão postal.

             

Recife, 14 de novembro de 2003. 

 

FONTES CONSULTADAS:

CAVALCANTI, Carlos Bezerra. O Recife e seus bairros. Recife: Câmara Municipal do Recife, 1998.

FRANCA, Rubem. Monumentos do Recife: Recife: Secretaria de Educação e Cultura, 1977.

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: VAINSENCHER, Semira Adler. Praça do Entroncamento. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em:dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.


 

 
Copyright © 2018 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco