Home P
Pereira da Costa
Francisco Augusto Pereira da Costa nasceu no dia 16 de dezembro de 1851, na antiga rua Bela, n. 10, hoje Ulhoa Cintra, no Recife, filho de Mariano Pereira da Costa e Maria Augusta Pereira da Costa.

pereira De família pobre, mal terminou o curso primário no Colégio Nossa Senhora do Bom Conselho e já começou a trabalhar como empregado de uma livraria na rua do Imperador, para ajudar a sustentar a casa. Provavelmente tenha vindo daí seu apego aos livros e o seu gosto pela leitura e pela pesquisa.

Aos 20 anos, trabalhou como amanuense na repartição de Obras Públicas, depois na Conservação dos Portos, na Secretaria do Governo e na Câmara de Deputados de Pernambuco e, em 1884, foi Secretário do Governo do Piauí.

Iniciou-se no jornalismo aos 21 anos colaborando com o jornalDiario de Pernambuco, do Recife, em 1872.

Em 1891, já com a família constituída, bacharelou-se em direito pela Faculdade de Direito do Recife.

Exerceu os cargos de Membro do Conselho Municipal do Recife e deputado estadual por Pernambuco, tendo sido eleito em 1901.

Foi também membro do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, onde recebeu o título de Sócio Benemérito. Segundo ele, o Instituto Arqueológico foi a sua escola, a sua tenda de trabalho onde encontrou grandes mestres.

Foi fundador da Academia Pernambucana de Letras e membro de várias instituições brasileiras, como os Institutos Histórico e Geográfico de Alagoas, Ceará, Paraíba, Bahia e São Paulo, entre outras.

Deixou uma grande quantidade de obras, sendo a mais importante delas, os Anais pernambucanos, pesquisa em 10 volumes, ordenados cronologicamente, onde podem ser encontrados a maioria dos assuntos da história e da vida pernambucana de 1493 a 1850. São dele também, entre outras,A Confederação do Equador (1876); Dicionário biográfico de pernambucanos célebres (1882); Enciclopédia brasileira (1889);Folclore pernambucano (1909); Vocabulário pernambucano(1936) e Arredores do Recife, reeditada pela Editora Massangana, em 2001.

Francisco Augusto Pereira da Costa morreu no Recife, no dia 21 de novembro de 1923.

 

Recife,15 de Julho de 2003

(Atualizado em 4 de Setembro de 2009).


 

FONTES CONSULTADAS:

 

QUINTAS, Amaro. Pereira da Costa e a moderna historiografia. Recife: Faculdade de Filosofia, 1967.

SILVA, Jorge Fernandes da. Vidas que não morrem. Recife: Departamento de Cultura, 1982. v.1.

 

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: GASPAR, Lúcia. Pereira da CostaPesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2018 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco