Home
Palíndromos

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 

Veja também a Atividade Pedagógica Palíndromos!

 

      Palíndromos, também denominados no Brasil como bifrentes ou às vezes anacíclicossão palavras ou frases que podem ser lidas da direita para a esquerda, como é usual, ou da esquerda para a direita. Só as letras, no entanto, são levadas em consideração. Não se toma conhecimento de acentos, pontuação ou espaços.

 A palavra é clássica, de origem grega: palin, de novo, mais e dromo, percurso, circuito, corrida. Assim, pode-se dizer que palíndromo significa correr ou andar para trás de novo.

 O palíndromo depende totalmente da ortografia das palavras. Por isso uma reforma ortográfica pode destruir alguns palíndromos, mas também possibilita a criação de outros. Os palíndromos eram, e ainda continuam a ser, muito associados à magia. Sempre intrigaram as pessoas, principalmente as que se interessam pela linguagem. Alguns os consideram perda de tempo, porém muitos acham o jogo de palavras bastante divertido.

 Os palíndromos existem em várias línguas: palindrome, em inglês e francês; palindrom, em alemão; palíndromo, em espanhol; palindròmo, em italiano.

 Diversas personalidades são autores de palíndromos.  A música Irene ri, de Caetano Velloso é um palíndromo. Millôr Fernandes, tem vários como: Olá, galo; A mala nada na lama; A grama é amarga; Amassa, má.

     Um dos palíndromos mais conhecidos no Brasil é: Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos! Há também outro bastante conhecido: Roma me tem amor.

 

    Luza Rocelina, a namorada do Manuel, leu na moda da romana: anil é cor azul O romano acata amores a damas amadas e Roma ataca o namoro são, tudo indica, dos mais longos existentes na língua portuguesa.

 

     Há ainda algumas palavras que lidas ao contrário formam outra palavra, porém não devem ser consideradAs palíndromos, como,  EVA,  MISSA, LUAR, RARO, RAMA, ATOR, EMA, AMORA, SOLAR

        

     Existe uma grande quantidade de palíndromos em português. O pesquisador Eno Teodoro Wanke, no seu O livro dos palíndromos (1995),  registrou 3.652 deles.

      

       Alguns palíndromos em língua portuguesa:

 

PALAVRAS:

ANA; ANILINA; ARARA; MIRIM; RADAR; OCO; OSSO; OVO; MUSSUM; RELER; REVER; ROTOR;SOMOS

 

FRASES:

    AME O POEMA; AMOR A ROMA;  ANOTARAM A DATA DA MARATONA; A MALA NADA   NA LAMA;  OI RATO OTÁRIO; O CEU SUECO;  A BOLA DA LOBA; OTO COME MOCOTÓ; REZAR PEDE PRAZER;  A MIM, ELE MIMA! A LUA PASSA, PAULA! A MACA É A CAMA; A DROGA DA GORDA; A TORRE DA DERROTA; EVA ASSE ESSA AVE.

 

 

Recife, 31 de janeiro de 2006.

(Atualizado em 31 de agosto de 2009).

Ilustração de Rosinha.

 

 

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

MORENO, Cláudio. Sua língua: curiosidades. Disponível em: <http://www.sualingua.com.br/02/02_palavras_invejamos.htm>. Acesso em: 26 jan. 2006.

 

WANKE, Eno Teodoro. O livro dos palíndroms (ou bifrentes). Rio de Janeiro: Edições Plaquette, 1995.

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: GASPAR, Lúcia. Palíndromos. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco