Home
Palácio da Boa Vista

Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

O Palácio da Boa Vista ou Schoonzit, em holandês, construído por Maurício de Nassau no Recife, em 1643, era destinado ao seu repouso e lazer. Ficava situado às margens do rio Capibaribe, na ilha de Antônio Vaz (atual bairro de Santo Antônio), local onde hoje se encontra o Convento do Carmo do Recife. O nome Boa Vista colocado por Nassau, foi devido à bela paisagem que podia ser contemplada de qualquer ponto do palácio.

            Virado para o poente, o edifício possuía características de arquitetura portuguesa, com linhas horizontais predominantes, telhados baixos de quatro águas e pequenas janelas quadradas. A influência holandesa também se fazia notar nos quatro bastiões com telhados afunilados e na flecha do torreão com bandeira.

            No centro do edifício, na parte de trás, erguia-se um outro, também quadrado, com dois pavimentos e três janelas em cada um deles. Entre as janelas dos dois pavimentos havia a inscrição Ano 1643, indicando o ano de construção, permeada pelo escudo das armas holandesas.

            Diante do portão do palácio, Nassau mandou construir a segunda ponte da cidade Maurícia, a primitiva ponte da Boa Vista, hoje chamada de Ponte Velha, mas cujo nome oficial é Seis de Março.

            Após a expulsão dos holandeses, ocorrida em 1654, a câmara do Senado de Olinda, doou o edifício aos religiosos carmelitas, que fundaram ali um hospício com capela. Posteriormente, conseguindo mais terreno, construíram seu antigo convento, aproveitando inclusive uma grande parte do velho Palácio da Boa Vista.

Recife, 11 de maio de 2004.

(Atualizado em 31 de agosto de 2009).

 

FONTES CONSULTADAS:

 

 

DONATO, Maria das Graças Andrada. Recife, cidade maurícia. Recife: Governo do Estado de Pernambuco. Secretaria de Educação. Comissão de Moral e Civismo, 1986.  p. 61-66.

 

PARAHYM, OrlandoVisão de um Recife que o tempo levou. Recife: Governo do Estado de Pernambuco. Secretaria de Educação. Comissão de Moral e Civismo, [198-?].  p.9-11.

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

Fonte: GASPAR, Lúcia. Palácio da Boa Vista (Recife, PE). Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco