Home
Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares, Recife

Semira Adler Vainsencher
Pesquisadora da Fundação Joaquim Nabuco
Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.


A Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares está situada na rua Nova, no bairro de Santo Antônio, bem no coração da cidade do Recife. De acordo com os registros históricos, os militares do Terço da vila de Santo Antônio do Recife (oficiais, sargentos e praças dos Corpos de Fuzilamento e Cavalaria), no dia 19 de março de 1725, solicitaram a criação de uma Irmandade dos Militares, bem como a construção de uma igreja que fosse sua, sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição.

Algum tempo depois, os militares escreviam uma carta ao Rei, dizendo, entre outros: para concluir as obras da construção da sua Igreja, sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição, é preciso que Sua Majestade socorra com alguma coisa.

Há indícios de que a construção da igreja tenha começado em 1710. Naquela época, um escritor registrava: havia uma bonita igreja construída pelos militares em louvor a Senhora sua Padroeira.

E, apesar de as obras terem sido concluídas em 1771, os ricos acabamentos do seu interior só foram finalizados em 1870. A igreja é um tesouro do estilo barroco setecentista. A despeito de a igreja possuir uma nave única e corredores laterais, o seu interior é ricamente trabalhado. O acesso ao mesmo se dá através de cinco portas; e, destas, três se comunicam, diretamente, com a nave central.

Por sua vez, o templo apresenta a capela, o retábulo, o altar-mor e o arco central decorados com talhas douradas. Um belíssimo nicho, no centro do altar, guarda uma imagem de Nossa Senhora da Conceição; e, acima do arco do presbitério, pode-se apreciar um brasão colorido da irmandade secular.

A igreja possui dois altares laterais, entalhados em madeira, que contêm um grande crucifixo e imagens do século XVIII, incluindo um São João Batista. O púlpito e as tribunas foram entalhadas no estilo D. João V, e há dois belos painéis sacros entre os altares e o forro.

O forro do templo, em contrapartida, é o mais ornamentado do Recife. Suas janelas e portas são decoradas com sanefas trabalhadas. O forro do coro, apresentando um painel histórico da Primeira Batalha dos Montes Guararapes, foi executado em 1781. Pintado em tábuas, encontra-se registrado o seguinte texto no painel:

VICTORIA ALCANÇADA PELOS PORTUGUESES NA PRIMEIRA BATALHA DOS MONTES GUARARAPES EM 19 DE ABRIL DE 1648, CONTRA OS HOLLANDEZES, QUE CONTAVM 10:500 HOMENS, E OS NOSSOS 2:500 COM ÍNDIOS E HENRIQUES, ENTRE AS MAIS BATALHAS HONROSAS QUE TIVERAM EM 7 ANNOS CONTINUOS, LIBERTARAM TODA ESTA CAPITANIA DA TIRANIA DOS BARBAROS HOLLANDEZES, E A OFERECERAM COMO FIEIS VASSALOS AO NOSSO AUGUSTO SOBERANO REI. E PARA ETERNO MONUMENTO NOVAMENTE MANDOU POR EM ESTAMPA ESTA MEMORAVELVICTORIA O ILLMO. EXMO. SR. JOSÉ CEZAR DE MENEZES GOVERNADOR E CAPITÃO GERAL EM PERNAMBUCO, EM 1781.

O púlpito, contendo escudos, anjos e cariátides em seus ângulos, possui um estilo rococó. O teto da igreja, em estilo barroco-rococó, evidenciando camélias, flores e volutas, tem ao centro uma pintura da Virgem Maria, pisando a serpente e rodeada de anjos. Acima da Virgem, há um bloco de nuvens com o Pai Eterno. Tudo isso contrasta com o estilo usado na capela-mor e no arco cruzeiro (D. João V), que evidencia, em sua parte superior, as armas do Império do Brasil do século XIX.

O coro, com balaustrada em talha dourada, encontra-se apoiado em colunas e nas paredes. Há painéis pintados, e talhas com douração, no forro da nave e em toda a parede onde estão o arco cruzeiro e os altares colaterais. Um dos painéis ressalta uma grande figura de Nossa Senhora da Conceição, ladeada de anjos, carregando uma pomba em uma de suas mãos, o símbolo do Espírito Santo. Em outro painel, em pé, encontra-se a Virgem Maria iluminada por um raio de luz e trazendo, em seu ventre, o Menino Jesus.

Um outro grande painel, em óleo sobre madeira, detalha a Batalha dos Montes Guararapes, que foi travada em 1648. Nessa batalha, 3.500 luso-brasileiros, comandados por Filipe Camarão, Vidal de Negreiros e Henrique Dias, derrotaram um exército de 5.000 holandeses. Esse painel foi elaborado pelo pintor José de Oliveira Barbosa que, na época, era membro da Irmandade de Nossa Senhora da Conceição dos Soldados.

A sacristia do templo é bastante ampla e contém um mobiliário em jacarandá, imagens, sepulturas e jazigos nas paredes e no piso, e um lavabo em pedra. Os jazigos se encontram presentes, ainda, nos corredores laterais do prédio: lá descansam os restos mortais dos membros da Irmandade e de nobres.

Da igreja, regularmente, saía a Procissão dos Fogaréus, mas, em 1853, por ordem do Bispo Dom Manoel Pereira, essa manifestação religiosa foi extinta.

Os visitantes devem conhecer o Museu de Arte Sacra, instalado no templo em 1966. Nele, estão expostos vários trabalhos esculpidos em madeira e em barro policromado, dos séculos XVII, XVIII e XIX. Entre outros artefatos de grande valia histórica, há, também, alguns paramentos religiosos bordados com fios de puro ouro.


Recife, 14 de novembro de 2003.
(Texto atualizado em 21 de novembro de 2007).

 


FONTES CONSULTADAS:


BARBOSA, Antônio. Pernambuco preservado. São Paulo: Editora Fundo Educativo Brasileiro, 1983.

FRANCA, Rubem. Monumentos do Recife. Recife: Secretaria de Educação e Cultura, 1977.

GUERRA, Flávio. Velhas igrejas e subúrbios históricos. Recife: Fundação Guararapes, 1970.

SILVA, Leonardo Dantas. Pernambuco preservado: histórico dos bens tombados no Estado de Pernambuco. Recife, 2002.

 


COMO CITAR ESTE TEXTO:


Fonte: VAINSENCHER, Semira Adler. Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Militares, Recife, PE. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2018 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco