Home R
Manoel Borba
Lúcia Gaspar

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 

 

 

 

 
 

Manoel Antonio Pereira Borba nasceu no Engenho Paquivira, próximo ao município de Timbaúba, Pernambuco, no dia 19 de março de 1864.

Filho de Simão Velho Pereira Borba, um liberal da Revolução Praieira (1848) e de Inês Maria de Andrade Lima, sobrinha neta de José de Barros Lima, o Leão Coroado da Revolução de 1817.

Estudou na Escola do Professor Demétrio Toledo, na cidade de Pilar, Paraíba e, transferindo-se para o Recife, na Escola do Professor Albino Meira, concluindo o curso de Humanidades, no Colégio Pernambucano.

Em 1883, entrou na Faculdade de Direito do Recife, colando grau em 1887.

Em 1888, já exercia a advocacia em Itambé, Pernambuco e era nomeado promotor da Comarca de Itabuna.

Foi transferido para a promotoria do Recife, em 1889, ficando no cargo por apenas 60 dias, porque pediu demissão para se defender de acusações contra ele, que depois foram retiradas.

Exerceu os cargos de deputado federal, líder da bancada pernambucana, governador do Estado de Pernambuco e senador. Em 1914 foi eleito prefeito de Goiana, PE, acumulando a função com o cargo de deputado.

Como governador de Pernambuco (1915-1919) criou a Imprensa Oficial, deu atenção especial à abertura de estradas e à construção de pontes, favoreceu o incremento da pecuária e o aperfeiçoamento das raças bovinas, introduzindo o gado Nelore no Estado. Depois que deixou o governo conseguiu eleger-se senador.

Com a morte de sua esposa, Maria de Andrade Borba, que lhe deixou cinco filhas e três filhos, recolheu-se à Goiana.

Aos 64 anos, preparava-se para voltar a vida pública, quando numa refeição, engoliu um pequeno osso de galinha, obrigando-o a fazer uma intervenção cirúrgica. Por ser diabético teve sérios problemas na operação, vindo a falecer, no Hospital Português do Recife, no dia 11 de agosto de 1928.

 

 

 

Recife, 18 de julho de 2003.
Atualizado em 16 de setembro de 2009.

 

 

 

 
FONTES CONSULTADAS:

 

 

 

 

BORBA, Andréa. Manoel Borba: político de Pernambuco. Arrecifes, Recife, a. 20, n.7, p.121-127, jul./dez. 1995.

 

SILVA, Jorge Fernandes da. Vidas que não morrem. Recife: Secretaria de Educação. Departamento de Cultura, 1982. p.303-306.

 

 

 

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

 

 

 

Fonte: Gaspar, Lúcia. Manoel Borba. Pesquisa Escolar Onlne, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: . Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 
Copyright © 2019 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco