Home M
Moura Cavalcanti

Maria do Carmo Andrade

Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco

Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 

 

José Francisco de Moura Cavalcanti, advogado, administrador, político, orador e memorialista pernambucano, descendente de tradicional família da aristocracia açucareira da região da Mata Norte de Pernambuco, também com grande tradição política, foi governador de Pernambuco de 1975 a 1979, indicado pelo então presidente da República, General Ernesto Geisel.

Nasceu em 30 de outubro de 1925, no Engenho Cipó Branco, de propriedade da família, no município de Macaparana, filho do Coronel João Francisco de Moura Cavalcanti e de Dona Áurea de Moura Cavalcanti. Até os nove anos de idade foi um típico menino de engenho, quando ficou órfão de pai e mãe, passando a viver sob a tutela do avô materno.

 

Iniciou seus estudos em Macaparana, porém, aos dez anos, foi estudar no Recife, interno no Colégio Nóbrega, onde passou toda a adolescência em companhia dos padres jesuítas. Estudou Geografia e História na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Manuel da Nóbrega. Depois de ter atuado como advogado ad hoc, isto é, defensor só de determinado caso, e com sua vocação natural para oratória, decidiu continuar os estudos. Fez vestibular para Faculdade de Direito do Recife, porém trancou a matrícula logo no começo do curso.

 

Aos dezoito anos, já fora do internato e morando em pensionato, conheceu Maria Margarida, com quem começou a namorar e, meses depois, se tornou sua esposa, fixando residência na Fazenda Porteira da Pedra, na Paraíba. Maria Margarida Krause Gonçalves de Moura Cavalcanti, apelidada de Suçu, seria sua companheira durante toda a vida.

 

José Francisco iniciou sua carreira política em 1946 quando, com apenas vinte anos de idade, através de eleição democrática e vinculado ao Partido Social Democrático (PSD), tornou-se prefeito de Macaparana para o mandato de 1946 a 1950. Quando concluiu o mandato em 1950, deixou a política e, com o apoio de sua esposa, prestou novo vestibular retornando à Faculdade de Direito do Recife, dividindo agora o tempo entre a Faculdade, a Fazenda Porteira da Pedra e o Engenho Cipó Branco.

 

Concluiu o curso de Direito em 1954, e passou a dedicar-se às atividades jurídicas. Foi advogado de ofício e desempenhou as funções de Promotor de Justiça Militar de Pernambuco, Assistente Jurídico, Subprocurador e Procurador Geral do Instituto de Previdência Social do Estado de Pernambuco (Ipsep), e Procurador Jurídico do Estado, função que exerceu até 1974, quando se aposentou.

 

Em 1961, foi indicado pelo então presidente da República, Jânio Quadros, para governador do Amapá, permanecendo no cargo até a renúncia do presidente. De volta a Pernambuco foi Secretário Estadual de Administração em 1964. Na gestão do governador Nilo Coelho (1967-1971), Moura Cavalcanti foi Secretário Extraordinário do Estado de Pernambuco. No governo do General Garrastazu Médici, foi o primeiro presidente do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), de 1970 a 1973, quando assumiu o  Ministério da Agricultura. Nesse cargo, entre outras medidas, criou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Nomeado pelo presidente da República Ernesto Geisel, foi governador de Pernambuco de 1975 a 1979.

 

Entre suas realizações, durante o governo do Estado, destacam-se a construção das barragens do Carpina e de Goitá, a drenagem de todo o Rio Capibaribe, medidas para conter as grandes enchentes do Recife; o Terminal Integrado de Passageiros (TIP); a Ferrovia Transnordestina e o Complexo Industrial de Suape.

 

No final de seu mandato, já doente, José Francisco de Moura Cavalcanti recolheu-se à vida privada em tratamento de saúde, mas sempre acompanhou os acontecimentos políticos do Estado, do País e do mundo. Em 28 de novembro de 1994, depois de várias complicações, morreu no Recife.

 

 

 

Recife, 30 de abril de 2008.

Atualizado em 14 de setembro de 2009.

Atualizado em 11 de outubro de 2017.

 

 

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

 

 

 

 

BIOGRAFIAS: José Francisco de Moura Cavalcanti.  Disponível em: <http://www.pe-az.com.br/biografias/moura_cavalcanti.htm>. Acesso em: 14 abr. 2008.

 

CAVALCANTI, José Francisco de Moura. Brasis que vivi (memórias). Recife: Fundaj, Ed. Massangana, 1992.

 

JOSÉ Francisco de Moura Cavalcanti. Perfil Parlamentar Século XX, Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco. Disponível em: <goo.gl/MhjZ8j>. Acesso em: 15 abr. 2008.

 

MOURA Cavalcanti [Foto neste texto]. Disponível em: http://www.onordeste.com/portal/moura-cavalcanti/. Acesso em: 11 out. 2017.

 

SILVA, Hilo Lins e. Recife: conceitos e evoluções.  Recife: Câmara Municipal, 1984.

 

 

 

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

 

 

 

 

Fonte: ANDRADE, Maria do Carmo. Moura Cavalcanti. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br//>. Acesso em: dia  mês ano. Ex: 6 ago. 2009.

 

 


 
Copyright © 2017 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco