Home
René Ribeiro

Virgínia Barbosa
Bibliotecária da Fundação Joaquim Nabuco
Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

rene

René Ribeiro nasceu no dia 3 de janeiro de 1914, na cidade do Recife, filho de Jefferson Firmino Ribeiro e Celina Osias Ribeiro.

Graduou-se em Medicina na Faculdade de Medicina do Recife, em 1936. Em 1947, recebeu o título de mestre em Antropologia pela Northwestern University, USA, com a tese: The Afrobrazilian cult-groups of Recife, a study in social adjustment.

Quando ainda estudante do segundo ano de Medicina recebeu convite de Ulysses Pernambucano, professor daquela Faculdade, para frequentar a biblioteca da Assistência aos Psicopatas de Pernambuco. Orientado pelo ilustre professor, aprofundou a pesquisa e o estudo do método científico, produziu e publicou artigos.

Em 1935, um ano antes de formado, publicou com José Lucena, o artigo Inquérito sobre as instalações e métodos educativos dos orfanatos do Recife e, com a assistente social Eulina Lins, Inquérito sobre a situação dos egressos do Hospital de Alienados, ambos no periódico Arquivo de Assistência a Psicopatas. Neste último já demonstrava sua vocação de pesquisador social numa abordagem dos problemas de Psiquiatria. Outro artigo que o destacou como pesquisador social foi Grupos étnicos, áreas naturais e mobilidade das populações de Pernambuco. Manifestou sua vocação também no campo da pesquisa antropológica com o trabalho On the amasiado relationship and other aspects of the family in Recife (Brazil).

Ainda na década de 1930, teve seu primeiro contato com os estudos sobre as culturas negras no Novo Mundo por intermédio das publicações Casa-grande & senzala, de Gilberto Freyre, The mind of primitive man, de Frans Boas e O negro brasileiro, de Arthur Ramos, além de participar do I Congresso Afro-Brasileiro do Recife. Esse contato também possibilitou a pesquisa Alguns resultados do estudo de 100 médiuns (1937) onde tentou “esclarecer, mediante testes psicológicos, os fenômenos dissociativos da possessão.” (RIBEIRO, 1983/1984, p. 86).

Em 1937, foi aprovado no concurso para livre-docente de Psiquiatria, na Faculdade de Medicina do Recife, com o trabalho As esquizofrenias: estudo estatístico e sua aplicação à higiene mental. Ainda neste ano, as atividades clínicas de René Ribeiro estenderam-se também ao Sanatório do Recife, hospital psiquiátrico particular criado por Ulysses Pernambucano, onde atuou como médico-assistente. René e Ulysses, inauguraram e chefiaram a primeira unidade hospitalar de tratamento biológico e terapias de choque para pacientes neuropsiquiátricos.

Como resultado de sua formação antropológica pela Northwestern University cresce o número de artigos e publicações provenientes de pesquisa de campo (tradição instaurada por Franz Boas), aliada quase sempre ao seu interesse na área psiquiátrica, como é o caso do artigo O teste de Rorschach no estudo da aculturação e da possessão fetichista dos negros do Brasil. Desenvolveu atividade também no campo da Antropologia da Religião, principalmente no que diz respeito aos cultos afro-brasileiros.

Na década de 1940, junto com o juiz de menores do Recife, Rodolfo Aureliano, e alguns professores universitários fundaram a Escola de Serviço Social, vinculada ao Instituto Social do Rio de Janeiro, posteriormente, incorporada à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Na década de 1950, de volta ao Brasil após seu mestrado em Antropologia nos Estados Unidos, René Ribeiro retornou à prática médica e colaborou com Gilberto Freyre na implantação do Instituto Joaquim Nabuco, atual Fundação Joaquim Nabuco, onde foi o primeiro diretor do Departamento de Antropologia.

Ocupou o cargo de professor titular de Etnografia no Brasil e de Antropologia, em 1957, na Faculdade de Filosofia da UFPE e participou da organização do Mestrado de Antropologia.
Membro de várias associações nacionais e internacionais na área de Psiquiatria e Antropologia, é autor de inúmeras obras, entre as quais se destacam: O problema da habitação do operariado urbano no Recife; Investigação sobre o nível intelectual de menores delinquentes e abandonadosProblemas de assistência a menores: emprego e colocação familiar; Colocação familiar inadequada - tentativa de suicídio de menor; Grupos étnicos, áreas naturais e mobilidade das populações de Pernambuco; Shangô: dança dramática afro-brasileira; O indivíduo e os cultos afro-brasileiros do Recife (1 e 2); Vitalino: um ceramista popular do Nordeste; Pentecostalismo no Brasil; Cultos afro-brasileiros do Recife: um estudo de ajustamento social, Antropologia da religião e outros estudos.

René Ribeiro faleceu na cidade do Recife, no dia 25 de dezembro de 1990, vítima de um acidente de automóvel, em companhia da sua esposa Beatriz Cavalcanti Ribeiro.

 

 

Recife, 29 de setembro de 2010.

 

 

FONTES CONSULTADAS:

 

 

RENÉ Ribeiro: professor emérito. Recife: Fundaj, Ed. Massangana, 1990.

RIBEIRO, René. Tempo de experiência. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 14/15, n. 1/2, p. 83-100, 1983/1984.

SOUTO MAIOR, Heraldo. René Ribeiro (1914-1990). Ciência & Trópico, Recife, v. 19, n. 1, p. 147-155, jan./jun. 1991.

VILA NOVA, Sebastião. René Ribeiro: sua produção intelectual. Ciência & Trópico, Recife, v. 24, n. 2, p. 459-475, jul./dez. 1996.

 

 

COMO CITAR ESTE TEXTO:

 

 

Fonte: BARBOSA, Virgínia. René Ribeiro. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php>. Acesso em: dia mês ano. Ex: 6 ago. 2009.


 

Busca "Palavra-chave"

Busca "A a Z"


Copyright © 2018 Fundação Joaquim Nabuco. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido pela Fundação Joaquim Nabuco